Anaurilândia

Por: Fernando Fisher

 

Pescaria em Anaurilândia

Roteiro
Olá amigos Leitores/Pescadores, com enorme prazer estou aqui novamente para relatar mais uma de minhas pescarias à vocês, abordando sempre muitas dicas, técnicas e peixe grande na ponta da Linha. Meu destino desta vez foi a cidade de Anaurilândia, localizada no estado do Mato Grosso do Sul, banhada pelo famoso e piscoso Rio Paraná também conhecido nesta região como “ Represa Sérgio Motta” . Um local extremamente piscoso para a pesca dos tucunarés Azuis ( Cichla piquiti) e Amarelos ( Cichla kelberi e Monoculus), tendo a possibilidades de encontrar grandes exemplares em meio à uma água extremamente limpa, cristalina e que abriga muitos gigantes.

POUSADA :
Para pescar na região sul Matogrossense, recebi o convite da renomada estrutura chamada Estância Zé Tacca. Localizado às margens do Rio Paraná detém de vários chalés e uma estrutura ampla para receber famílias, duplas e grandes grupos. Ressaltando a estrutura top, desde os apartamentos ( chalés) até a gastronomia típica da região fazem com certeza a Estância Zé Tacca ser bem reconhecida na região onde na pescaria , os barcos são todos plataformados com motores de popa de 40hp e elétricos, todos em ótimo funcionamento para garantir a segurança e conforto de nós pescadores, além dos guias que com certeza fazem a diferença em meio a uma imensidão de água do rio Paraná.
COMO CHEGAR:
Partindo de São Paulo com carro percorri cerca de 700km por estradas excelentes como Castelo Branco e Raposo Tavares, uma viagem bem tranqüila e prazerosa de se fazer. O waze leva você a porta da pousada, com tudo bem sinalizado e uma pequena e muito boa estrada de terra que liga o asfalta a pousada.

EM BUSCA DOS TUCUNARÉS:
Nos primeiros raios de sol do dia eu já estava pronto para a pescaria e fui apresentado para o meu guia Cristiano que sem dúvida é um dos melhores guias da região, onde já foi me passando algumas informações logo de cara, antes mesmo do barco entrar na água.
Desta vez meu propósito naquele paraíso de águas cristalinas era fazer uma pescaria um pouco diferenciada, pois minha idéia era utilizar iscas maiores que as que costumam ser utilizadas na região para tentar um troféu de Tucunaré. Expus esta idéia ao guia Cristiano e de cara ele já abriu um sorriso e concordou com tudo, usamos iscas bem grandes e o propósito disso era que o tucunaré naquela semana estava apenas cuidando de sua prole, ou seja, quando o tucunaré esta nessa fase ele não se alimenta muito, poupando energia para vigiar todos os seus filhotes, em cima disso traçamos a estratégia que utilizando iscas maiores o risco do tucunaré atacá-las por ameaçar a prole seria maior e assim começamos os trabalhos em meio ao rio, nas estruturas de pauleiras com profundidade variando de 4 a 6 metros, local dos azulões grandes.
Com a estratégia traçada, além de grandes Zaras, utilizei com grande êxito as iscas de Hélice, destacando as do meu amigo Charles ( CCM ), As hélices nesta situação serviam para localizar o peixe pois muitas vezes ele seguia a isca ou até batia para afugentar porém quando localizado, na maioria das vezes eu arremessava uma Zara que intercalava com o trabalho de Stick, pois impunha um trabalho bem acelerado até chegar próximo ao peixe e ai sim mudava o trabalho para um stick bem provocante, com muitas “ catimbadas” em cima do peixe/ninho. Tática dando certo e bons azuis sendo capturados assim, onde em meio à eles, alguns amarelos também apareciam mostrando valentia ao atacar iscas acima de 11cm.

EQUIPAMENTOS:
Bom, como a nossa estratégia de utilizar iscas grandes, consequentemente os equipamentos teriam que se adequar a elas. As varas foram todas customizadas onde variaram de 17 a 25lbs com ação rápida e tamanhos de 5’10 à 6’2, onde o propósito de utilizar varas um pouco maiores seria para acertar alguns arremessos bem longos, pois com a água muito clara, sol à pino e peixe manhoso, chegar muito perto do ponto pode muitas vezes afugentar o casal de tucunarés e toda sua prole fazendo com que a pescaria perca bastante a produtividade. As carretilhas foram todas da Shimano nos modelos entre Metanium Dc, Mgl e Antares Hg, variando a velocidade de recolhimento em 7.4 a 8.5, ambas munidas com linhas G-soul Upgrade X8 de 35lbs e leader Absorber de 40lbs em tudo com snaps CCM.

ISCAS :
Já as iscas, vou relatar aqui alguns modelos e configurações que tiveram um produtividade acima da média :
Bonnie 128 ( garatéia no meio e na traseira, ambas VMC 6X BN #2 ) , Rover 128 ( Garatéia no pitão da frete e na traseira, deixando o do meio vazio, Garatéias VMC 6X BN #2 ), T20 ( Garatéias VMC 6x BN #2), Sará Sará 120 ( garatéias VMC BN #2 na frente e #1 VMC BN atrás ), as CCM RIPPER já vieram devidamente equilabradas para nossos peixes e não precisei mexer, já as twitch’s bait eu optei por utilizar a Curisco 110 e a biruta 110 ( ambas com garatéias #1 VMC BN ). Vale ressaltar que todas essas iscas foram montadas com Split Ring’s de 80lbs com trava CCM.

CONSIDERAÇÕES FINAIS E OPINIÃO :
Enfim, essa pescaria foi muito top, eu gostei muito de tudo, desde da hospitalidade de meu amigo e proprietária da Estância Zé Tacca, o Fernando. O guia que me acompanhou e me dirigiu aos grandes peixes, gente muito boa e muito positivo Cristiano e o cinegrafista, grande amigo e fotógrafo pescador Guilherme Cain do Canal Profishing que produziu estas imagens no qual vocês poderão acompanhar também na íntegra meu programa no youtube.
Na pescaria dos tucunarés muitas pessoas já viajam com o intuito de pegar muito peixe e peixes grandes, porém quem manda nisso é a natureza e o que vale a pena ressaltar é que nós pescadores temos que nos adaptar conforme a natureza e ao comportamento do peixe, só assim a pescaria será realmente como o esperado.
A sensação foi ímpar de pegar grandes azulões com muitas explosões na superfície e tudo mais, gostaria aqui de agradecer especialmente ao Washington que sempre me concede este espaço para compartilhar com vocês minhas aventuras por aí, e meus patrocinadores/parceiros, sendo eles: Custom By marco, By aventura, Óculos Matuto, Busca pesca, Canal ProFishing, Charles CCM, Camalesma, JR PESCA, bonés Vida de Pescador, Green pesca, Meu Dome e Ale pesca .
Gratidão por todos que leram e gostaram da reportagem, faço isso a vocês leitores que me motivam cada vez mais a continuar.
Vocês podem acompanhar meu trabalho também no Instagram, onde eu posto todos os bastidores de minhas viagens.

Obrigado à todos,
Fernando Fisher