Pages Navigation Menu

EXPEDIÇÃO AMAZÔNIA – EMBARQUE NESSA AVENTURA!!

EXPEDIÇÃO AMAZÔNIA – EMBARQUE NESSA AVENTURA!!

No decorrer de 2014, a Zagaia Lures Iscas Artificiais lançou a promoção ““EU VOU PARA MANAUS COM A ZAGAIA”, e foi um sucesso! Foram milhares de iscas vendidas e cupons preenchidos em todo Brasil.

 

Alguns meses anteriores à nossa viagem para Amazônia, fomos até Salto de Pirapora, especificamente na loja Salto Pesca, para conhecer e entregar o prêmio ao grande ganhador Wilson Alberto Leite que além de ganhar a viagem, teria o direito de levar um acompanhante para vivenciar momentos inesquecíveis na Amazônia e melhor, com tudo pago pela Zagaia. Em resumo, foram cinco dias de muita aventura e emoção com os grandes Tucunarés, sem falar da boa estrutura e atendimento diferenciado, oferecidos pela Pousada Mamori.

fotos-pousada-mamori1

Um fato muito legal e que não posso deixar de descrever, foi a maneira que o Will escolheu seu acompanhante. Na família Leite, os cinco irmãos são fanáticos por pesca! Agora imaginem quando se trata de pescar na Amazônia? A dificuldade foi grande e após diversas reuniões realizadas entre eles, chegaram à conclusão de que a maneira mais justa seria definir o acompanhante através de um sorteio. Então, enquanto os papéis com os nomes eram preenchidos, a ansiedade aumentava a cada minuto. Todos queriam ganhar essa viagem, é óbvio…rsss!!!!  E foi com muita sorte que o Edinho foi o ganhador, e segundo ele, sua emoção começou ali!!!!!

fotos-pousada-mamori2

A viagem:

Na madrugada do dia 26/10/2014, o diretor da Zagaia, Marcel em companhia do Wilson (grande Will) e seu irmão Edson Leite (Edinho), partiram para Manaus. Lá, aguardariam a minha chegada, programada para oito da manhã, horário local.

 

Desembarcando no aeroporto de Manaus, após uma viagem muito tranqüila, eu Frango do Tambaluko Pesca Esportiva, fui imediatamente recepcionado por um dos colaboradores da Pousada Mamori que me esperava. De lá, partimos em uma Van ao encontro dos demais parceiros de pescaria. O primeiro a embarcar conosco nessa aventura foi o Caio, proprietário da Pousada. E que boa surpresa, saber que ele faria companhia à nossa equipe durante dois dias de pescarias! Na sequência, fomos até o hotel onde o Marcel, Will e Edinho estavam hospedados. A ansiedade era tanta, que nos aguardavam com tudo pronto!

 

Translado:

Todos acomodados na Van, partimos para o translado que é coisa de cinema! Com um cenário impecável e deslumbrante, a paisagem, fauna e flora se misturam pelo trajeto. Um sonho para qualquer amante da natureza e principalmente aos pescadores, que extasiados com tanta beleza, por alguns instantes esqueceram a ansiedade que os dominava.

 

Saímos do hotel por volta de 11h00, e em mais ou menos trinta minutos chegamos ao porto de Manaus. Embarcamos em uma voadeira, para uma viagem de mais vinte minutos até o Careiro da Várzea. O Careiro é um município do Estado do Amazonas, pertencente à região Metropolitana de Manaus e seu acesso se dá por via fluvial. Nesse primeiro tour, saímos pelo Rio Negro e cruzamos a linha que marca o encontro de suas águas com o Rio Solimões, um verdadeiro espetáculo proporcionado pela natureza!

IMG_0410

Chegando ao Careiro da Várzea, lá estava o atencioso Diogo, coordenador da Mamori, que nos esperava com outro carro, para nos levar por mais uma hora de viagem pela BR319, até a comunidade do Araçá. Lá embarcamos em outra voadeira. Nesse último trajeto, percorremos cerca de trinta a quarenta minutos até a boca do Mamori, que encontra com o lago Juma, local conhecido como Três Bocas, e na sequência seguimos até a Pousada Mamori.

 

Não poderia deixar de enfatizar a organização de como todo esse transporte, troca de veículos e embarcações, são feitos. É tudo muito bem estruturado e cronometrado pelos administradores e colaboradores da pousada. Isso faz com o que o trajeto seja mais rápido e que os grupos de pescadores e/ou visitantes não percam tempo entre o desembarque em Manaus até a Pousada Mamori.

 

Chegamos à pousada por volta de 16h15 e nosso grupo foi recepcionado e surpreendido com um belo aperitivo e caipirinhas de boas vindas, e que recepção, né???? rssss.

 

O Edinho, logo correu para arrumar seus equipamentos, e ali mesmo deu início à sua pescaria. Fiquei surpreso com a vontade dele em pescar! Desceu até um pequeno lago, localizado ao fundo da pousada e lá fisgou diversas Traíras. O Marcel, Will, Caio e eu decidimos arrumar nossa bagagem e ficar por ali, batendo um papo antes do jantar. Depois de uma saborosa refeição e de barrigas cheias, tratamos de arrumar as tralhas e descansar. Com certeza o próximo dia seria de muita aventura e emoção, as iscas ZAGAIAS entrariam em ação! Era nítida a ansiedade entre todos que aguardavam o primeiro dia de pescaria.

DSCN8394

A pescaria:

Agradecemos a Ballyhoo Adventure pelo vestuário diferenciado fornecido para nossa equipe nessa expedição. A Ballyhoo Adventure, conta com uma linha diferenciada de roupas para os amantes dos esportes de natureza como: pesca, caminhada, montanhismo, dentre outros…

Suas peças garantem conforto um designer diferenciado, além é claro, de secagem rápida, proteção UV, leveza, costuras reforçadas e etc.. As camisetas Ballyhoo são feitas com malha especial em um processo de estamparia totalmente novo e não perdem a cor. Marca pioneira no Brasil quando se trata de roupas com repelência a insetos e a tecnologia de aplicação é exclusiva. Obrigado Balyhoo!!!!!

 

Dia 27/10/2014 – chegou a hora, nosso primeiro dia de pescaria estava começando. Na Amazônia o despertador canta cedo e por volta de 05h30 estávamos de pé. Pela manhã e durante todo o dia, os cantos dos pássaros se misturam, uma verdadeira sinfonia para os ouvidos de apreciadores, como eu. Tomamos nosso café da manhã, aliás, muito bem servido aos hóspedes da pousada e descemos para encontrar os três guias. Estes já estavam com tudo preparado, barcos, comidas e bebidas. Claro que a experiência dos guias é fundamental para o sucesso da pescaria.

 

Os guias da Pousada Mamori são especializados e conhecem como a palma da mão toda a região, bem como os melhores pontos para a pesca dos grandes exemplares.

 

Três barcos foram disponibilizados para nossa equipe, em um deles ficaram os irmãos Will e Edinho, no outro eu Frango e o Marcel, e no terceiro, o Caio. Tudo pronto, tralhas embarcadas, partimos para nosso primeiro ponto de pesca, o lago Jurará. Varas 17 a 20 libras, carretilhas com linhas de multifilamento, líder de fluorcarbo e claro, iscas artificiais Zagaia Lures, foram as escolhidas.

IMG_0032

Marcel e eu nesse dia fisgamos muitos exemplares e diversificamos bastante as iscas Zagaia: Zé Pepino, Prima Gold, Cascavel, entre outras, fizeram a festa com os Tucunarés! Uma emoção atrás da outra, mas dessa vez, só os menores deram as caras. Era ação o tempo todo. Já o Edinho e o Will tiveram maior sucesso e logo pela manhã, após diversos exemplares menores fisgados, um Tucunaré Açu de cinco quilos os presenteou. Segundo o Edinho, a emoção é indescritível ao perceber o ataque do feroz bocudo na isca. “A briga é realmente coisa de gente grande e a adrenalina vai a mil, tremi de emoção”, relata o Edinho!

DSCN8445

Ao invés de retornarmos para a pousada todos os dias, optamos por almoçar na selva, cercados de uma beleza natural e exuberante, que só a Amazônia proporciona. Sabendo disso, a Pousada Mamori cedeu diversas redes para nosso descanso. Então, durante os dias em que lá permanecemos, os três barcos se encontravam em um determinado horário e os guias experientes montavam nosso acampamento e preparavam nosso cardápio, enquanto descansávamos e colocávamos a conversa em dia. Vinagrete, arroz, farinha e alguns Tucunarés de pequeno porte eram assados para nossa refeição.  Ressaltamos que somos adeptos ao pesque e solte, o que não nos impede de consumir os peixes necessários para a alimentação, numa condição como esta, isto não prejudica a natureza, justamente por não ser uma pesca predatória.

 

Fome saciada e energia renovada, retornamos à pescaria! E no período da tarde foi a vez do Caio fisgar o seu Tucunaré Açu. O menino era realmente grande e o ataque na isca foi fantástico!!! Brevemente, você poderá acompanhar o vídeo desse ataque em nosso site www.tambaluko.com.br.

 

Eu, o Marcel, o Will e o Edinho, continuamos fisgando muuuitos exemplares!! Entre as espécies: Tucunarés, Aruanãs, Traíras e até Piranha Preta atacou a minha isca.

DSCN8445 DSCN8439 DSCN8427 DSCN8402 DSCN9424 DSCN9384

No final da tarde, depois de enfrentar um calor de mais ou menos 40°, com a sensação térmica de muito mais, retornamos à pousada, observando a beleza do pôr do sol refletido nas águas douradas do rio. Ao chegar na pousada, novamente fomos recepcionados pelos desejados aperitivos!! Para aliviar o cansaço desse primeiro dia de pescaria, demos um mergulho na piscina. Assim, num bate papo animado e muita descontração, pudemos relaxar… Tomamos aquele banho, jantamos e fomos descansar, a fim de nos prepararmos para o segundo dia de pescaria.

 

Dia 28/10/2014: Segundo dia de pescaria e o despertador canta às 05h00 da manhã. Novamente, os guias prepararam tudo, e partimos em nossas embarcações, só que dessa vez, para um novo ponto de pesca, o Lago do Tucunaré que fica aproximadamente há uma hora da pousada. Particularmente esse ponto é o meu preferido, e foi onde obtive melhores resultados em oportunidades anteriores. No trajeto, os botos davam um espetáculo à parte, e sem nenhuma cerimônia, se aproximavam do barco como que para nos saudar com as boas vindas.

 

Nesse dia, novamente as Traíras e os Tucunarés saíram em grande quantidade! Eu optei em pescar com a excelente isca Cascavel da Zagaia, claro, variando as cores. Foram muitos ataques, de Tucunarés grandes inclusive, mas acabei deixando-os escapar. O grande felizardo do dia foi o Marcel, que com a isca Prima Floating na cor prata e detalhes em vermelho, fisgou o seu Açu pesando em média, uns cinco quilos. Adrenalina total! A briga travada ali, só não foi maior que a emoção em vivenciar tudo aquilo! Quando um gigante desses ataca a isca, é inexplicável a sensação! A felicidade do Marcel era nítida e transparecia em seu rosto.

DSCN8517 DSCN8456 DSCN8448 DSCN9339

Uma cena inacreditável, a qual o Marcel e eu presenciamos, foi quando ele fisgou um Tucunaré pequeno de uns 800 gramas, o menino estava muito próximo ao barco e iríamos retirá-lo da água para posterior soltura, mas não deu tempo. Uma boca enorme simplesmente surgiu do fundo, era um Açu de responsa e com uma explosão gigante comeu o Tucunaré menor que o Marcel havia fisgado. Coisa de filme, mesmo!! Foi uma pena que dessa vez não houve tempo de registrar em vídeo esse momento inesperado!

 

No final da tarde retornamos à pousada, e nada melhor para baixar a adrenalina, que observar o pôr do sol emoldurando toda a região do Mamori! Definitivamente, é coisa de outro mundo,

É um espetáculo da Amazônia …

 

Eu, Frango, estava feliz por todos que fisgaram seus exemplares, mas ainda faltava o meu, poxa!! Engraçado que eu tinha a certeza de que “ele” estava por vir, e para tal feito, ainda teríamos dois dias de pescaria pela frente.

fotos-pousada-mamori4

Dia 29/10/2014: Como em todos os dias, seguimos a rotina. O Caio que participou conosco das outras duas pescarias, por motivos profissionais teve que nos deixar. Despedimos-nos na pousada e após o café da manhã, nossos guias optaram por nos levar até o Lago Mira. Esse mais próximo, a uns vinte minutos da pousada. Para mim, foi um trajeto novo, pois em minha viagem anterior, não estive por lá. Então, câmera na mão e clique a todo o momento para registrar a beleza local.

 

Nesse dia, minha esperança e ansiedade em fisgar um gigante, eram nítidas. Até o nosso guia Sr. Mathias relatou: “Hoje é seu dia, hein Frango?”

 

Novamente usando a técnica de variar as iscas coloridas Zagaia, nosso dia foi muito satisfatório e quem foi o sorteado com o Açu??… foi o Will!!! Usando isca Biguá Gold, branca e cabeça vermelha, fisgou o seu exemplar… Festa total no barco deles. Parabéns Will !!!

DSCN8442 fotos-pousada-mamori DSCN9287 DSCN8592 DSCN8577 DSCN8564 DSCN8456 DSCN8448 DSCN9339

Marcel, Edinho e eu, continuamos arremessando e fisgando muitos exemplares de Tucunarés e Traíras, mas, muitos mesmo!!!

 

Uma mudança fez toda a diferença nesse dia, o Sr. Mathias nosso guia, decidiu esticar um pouco mais o horário de pescaria. E valeu a pena!! Foi sensacional presenciar e registrar através de fotos, a gente pescando com o pôr do sol ao fundo. Um vermelho que parecia escorrer do céu e se esconder muito próximo de nós… Ao mesmo tempo em que se refletia nas árvores e na água, emprestando uma beleza única ao lugar e transmitindo uma paz “terapêutica” !

IMG_0354

Enfim, voltando para a Terra… e meu Açu? Alguns grandes exemplares deram explosões nas minhas iscas de superfície, mas retornamos à pousada e o meu bocudo não tinha saído!! E agora, pensei ?!! Falta apenas um dia e vou embora sem fisgar nenhum? rssss… Mas mesmo assim, continuava feliz por todos que tiveram sucesso até aquele momento. Pois em uma equipe é assim, ficamos felizes quando os integrantes fisgam grandes exemplares, independente de ser você ou não, não é verdade?

 

 

Dia 30/10/2014: Último dia de pescaria da nossa sensacional expedição. Ao acordar, minha esperança era grande e ao mesmo tempo, não podia esconder minha frustração em ter perdido diversos grandes exemplares. Mas com fé e pensamento positivo, requisitos indispensáveis, em qualquer situação, incluindo as pescarias, partimos para o Jurará, onde as ações haviam sido constantes e os maiores peixes estavam mais ativos.

 

Iniciamos a pescaria e decidi variar as cores e iscas Zagaia. Era arremesso atrás de arremesso. Em cada um deles, o Marcel e eu, tínhamos a esperança de fisgar um maior. Logo no início da manhã, próximo à margem e estruturas, avistei atrás de mim, um tronco isolado de uma árvore enorme. Foi quando decidi mudar de isca e voltei a utilizar a isca Cascavel na cor verde. Essa isca trabalha como Zara, ou seja, em zig-zag. Arremessei bem ao lado do tronco e para minha surpresa, após dois ou três trabalhos de isca, eis que veio a minha explosão! Um Açu grande atacou minha isca e soltou, fiquei paralisado, mas a tremedeira me denunciava, rssss. Não sabia se continuava trabalhando a isca ou ficava ali parado! Dei mais um toque para trabalhá-la e ele voltou com tudo, e numa nova explosão, definitivamente, fez a minha alegria!!! Naquele momento, adrenalina, emoção e medo de perder o peixe se misturavam com a vontade de trazê-lo. Que briga, pessoal!! A vara envergava e o animal pulava para fora da água. Foi quando conseguimos embarcar meu “troféu” com aproximadamente 05 quilos. Pose para foto, e bora soltar o menino para dar emoção a outro pescador!!! Sem palavras…

DSCN9287 DSCN8442 DSCN8448 DSCN8456 DSCN8564 DSCN8577 DSCN8592

Depois de nosso almoço na selva, tivemos um merecido descanso de quase uma hora nas redes armadas pelos guias. Até ali, foram três dias de pescaria, e estávamos exaustos devido ao calor, arremessos e trabalhos constantes de iscas, isso realmente cansa… Mas queríamos mais!!! Retornamos à pescaria e nossos guias experientes, nos conduziram atrás das Aruanãs. Em um local um pouco mais distante e com muitas estruturas dentro do Jurará, era onde as meninas costumavam ficar.

 

O Marcel, diretor da Zagaia, com a isca Minotauro, que trabalha como Popper, nas cores azul e laranja, fisgou o seu exemplar, logo nos primeiros arremessos. Uma bela Aruanã, digna de uma briga de gigante… Enquanto isso, o Will e o Edinho que estavam próximos a nós, também fisgaram as suas. Achamos as meninas!! Aquele era o local perfeito e a festa de fisgadas começou! Foi quando o Marcel, novamente arremessou, e aí sim, fisgou uma Aruanã de respeito, que era quase do seu tamanho!! Uma briga fora do comum teve início! Saltos e mais saltos para fora da água, até conseguir domar a gigante e trazê-la para o barco… E, finalmente, pose para as fotos!! Sem demora, soltamos aquela maravilha da natureza! Boa Marcel!!!!

 

Retornamos à pousada, e como em todos os dias, nosso aperitivo e caipirinhas nos aguardavam na mesa. Finalizamos esse dia com um belo mergulho na piscina para relaxar. Jantamos e fomos descansar para retornarmos à Manaus, no dia seguinte.

 

Gostaria de repassar a você leitor, o importante depoimento de cada integrante da nossa equipe:

 

Caio – Proprietário da Pousada Mamori

 

Lembramos que o Caio pescou conosco dois dias e por motivos profissionais teve que retornar à Manaus.

 

Caio: É sempre um prazer receber o pessoal da Fishingnews, Tambaluko e nessa promoção com a Zagaia receber aos ganhadores.

 

Frango: E a pescaria, como foi?

Caio: Até o momento, muito boa! Todos pegaram peixes grandes, menos você, diz brincado – e demos risadas, rssss…….Fica o convite para quem quiser conhecer a Pousada Mamori, é só entrar em contato conosco, ok?

 

Frango: É bem próxima a Manaus, o que é muito bom, não é?

Caio: Estamos há três horas de Manaus, você só precisar chegar no aeroporto, o restante é conosco.

 

Frango: Para agendar grupos qual o fone de contato:

Caio: (92) 9177-6666

 

Frango: Obrigado Caio, pela recepção e bom retorno!

Caio: Valeu! Um grande abraço a todos.

Marcel – Diretor da Zagaia:

Primeiro, gostaria de agradecer ao Caio da Pousada Mamori, pela parceria e por ter recepcionado a nossa equipe. Ao gerente Diogo, aos guias e a todos os colaboradores por toda atenção e cordialidade no atendimento. Fico muito contente que a Zagaia Lures Iscas Artificiais pôde proporcionar esses momentos para o Will e para o Edinho e recomendo a todos que conheçam e agendem sua pescaria nesse local magnífico, com bons exemplares de Tucunarés e Aruanãs, atendimento de primeiro! Espero voltar em breve.

 

Will Leite – ganhador da promoção:

Comprei a isca na loja Salto Pesca e fiz o cadastro na promoção no último dia, e após uma semana fui o sorteado. Na hora que recebi a noticia, travei!!!! Pois ser contemplado para vir à Manaus e com tudo pago não é a toda hora! Não conseguia acreditar que era verdade e que eu tinha ganho! Após diversos contatos me aproximei do Marcel e do Sidney da Zagaia e ai sim, a ficha foi caindo…

 

E veja, hoje estamos aqui! È indescritível toda essa vista, paisagem, natureza, cruzar o encontro das águas, ou seja, tudo foi muito bom!

 

Muita emoção ao fisgar essa grande quantidade de peixes, explosões de grandes exemplares, misturados a beleza da natureza, ainda não dá para acreditar!

 

Ao despertar em todos os dias, parava para pensar: “Estou pescando na Amazônia!” – um sonho que trazia guardado comigo e que foi realizado pela Zagaia, essa conceituada empresa de iscas artificiais. Quero muito agradecer ao Marcel, à Pousada Mamori, à Revista Fishingnews e a você Frango, por toda atenção. Vocês são “gente fina” demais!

 

Agradeço também ao Caio, proprietário da Pousada Mamori, e a todos seus colaboradores que nos receberam desde o translado, até esse momento, com muita atenção e lisura. Agradeço também aos guias experientes que realmente nos levaram incansavelmente aos pontos, para fisgarmos os grandes Tucunarés Açu.

 

Só tenho muito a agradecer a vocês por nos proporcionar todos esses momentos, e dizer que vou levar essa viagem comigo, até o resto de minha vida! Foram momentos marcantes, o top dos sonhos, realizado para mim.  Só tenho a agradecer principalmente à Deus e a Zagaia,  e com certeza,   um dia retornarei, a esse maravilhoso local, na mesma pousada, com essa mesma vista espetacular e que nos dá alegria em acordar diariamente. Obrigado a todos vocês!

 

Edinho:

A emoção é única, só quem está aqui sabe. A cada fisgada e explosão dos bocudos, o coração quase sai pela boca! Agradeço também à Zagaia e à Pousada Mamori que nos acolheu super bem. A fisgada de um Tucunaré grande é de tremer, não existe explicação. Quando se fisga um grande, a adrenalina vai a mil! As iscas da Zagaia, trouxeram ação em cima de ação, trocava de isca e mesmo assim os peixes atacavam. Aprovamos e recomendamos o uso dessas excelentes iscas!

 

Para finalizar mais essa reportagem, eu Frango, gostaria de agradecer ao grande parceiro e irmão Washington Takahashi da Revista Fishingnews que infelizmente por problemas pessoais, na última hora, não pode viajar comigo para realizar mais este trabalho. Obrigado Washington pela confiança de sempre!

 

Agradeço também ao Caio e a Sra. Graça, proprietários da Pousada Mamori, que pela segunda vez me recebeu de braços abertos. Ao coordenador Diogo e a Val, por todo atendimento diferenciado oferecido à nossa equipe e à dedicação dos experientes guias. Deixo aqui, um grande abraço ao Sr. Mathias, guia que esteve comigo e com o Marcel durante os quatro dias de pescaria. E também, gostaria de parabenizar a Zagaia, pela iniciativa, parceria, confiança e por permitir realizarmos mais esse trabalho!

 

As iscas da Zagaia Lures Iscas Artificiais utilizadas em diversas cores nessa expedição, foram: Zé Pepino, Cascavel, Prima Gold, Prima, Bigua Gold, Minotauro Gold, Zagaia Dupla Ação e a Kaluana. Todas trouxeram excelentes resultados e grandes Tucunarés foram fisgados.

 

Ao Marcel, Will e Edinho, fica meu agradecimento pela companhia e que essa amizade dure por muitos anos. Não podemos esquecer do Rafael, da loja Salto Pesca, que foi de onde saíram os ganhadores dessa promoção.

 

Informações adicionais :

Pousada Mamori:

(92) 3234-2451 / 99177-6666

e-mail: contato@pousadamamori.com

site: www.pousadamamori.com

Contato: Caio ou Sra. Graça.

 

Zagaia Lures – Sport Fishing

0800-773-4943

Site: www.zagaialures.com.br

Contato: Marcel

RSCN8481 DSCN9292 DSCN9415 DSCN9424 DSCN9475 DSCN9486 IMG_0138 IMG_0166 IMG_0392

Encerro a matéria, guardando na lembrança mais essa aventura e com certeza, já deixou saudades. Breve, esperamos retornar!!!!!

 

Desejamos a todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

Que em 2015, Deus derrame sobre a vida de todos vocês, muito sucesso, paz, amor, saúde e alegria!

 

Equipe da Revista Fishingnews para essa matéria:

Direção, fotos e texto: Frango Tambaluko

Revisão de textos: Edna Felix Azambuja

 

Até a próxima,

Logo Tambaluko site em laranja copy

Tambaluko Pesca Esportiva.

site: www.tambaluko.com.br

e-mail: tambaluko@gmail.com

canal do youtube: http://www.youtube.com/user/tambaluko

instagram: www.instragram/tambaluko