logo


Campeonato de pesca do dourado na Argentina

Campeonato de pesca do dourado na Argentina

Em uma de minhas pescarias com minha esposa, Denilse, conhecemos um casal muito simpático e educado, Rogério e Fátima, pais dos proprietários da Pousada Gêmeos Pesca Esportiva, Daniel e Diego. Ao final de nossa semana de pesca, ao nos despedirmos, disse-lhes que iriamos na pousada deles um dia, se Deus assim nos permitisse.

Assistindo programas de pesca, tomei conhecimento do Campeonato de Dourado na Gêmeos Pesca Esportiva, que fica em Ita Ibaté, Corrientes, Argentina. Não pensamos duas vezes, entrei em contato com a Gêmeos e assegurei nossa inscrição, para a segunda etapa. Seria unir o útil ao agradável, pois conheceríamos a Gêmeos e participaríamos do Campeonato.
Ao lembrarmos que tínhamos um compromisso em Assunção uma semana antes do campeonato, já com passagem aérea comprada, resolvemos passar para a primeira etapa. Alteramos a data de nossa viagem para 22 de fevereiro, com retorno para São Paulo em 7 de março.

Minha esposa é ótima pescadora de dourados eu também gosto muito, mas adoro pescar surubim. Para resolver a questão, considerando que o campeonato é só de dourado, decidimos chegar à Gêmeos com dois dias de antecedência, o que nos permitiria pescar pintados, piaparas e pacus, além do próprio dourado.
Acertamos o que era necessário com a organização em relação ao Campeonato e, com a direção da Pousada Gêmeos os dois dias de pesca que o antecederiam ao evento.
Para pescar na Argentina, vamos de avião até Assunção e amigos que moram lá nos levam até a Pousada e na volta contratamos um táxi em Paso de La Patria, que nos leva até o aeroporto. Desta vez, foi um pouco diferente, pois eu tinha que desenvolver um sistema de controle num restaurante da amiga Ina, esposa do amigo Davi, que moram em Assunção e minha esposa iria reestruturar o cardápio, criando novos pratos.
Desenvolvemos nosso trabalho até quinta-feira no restaurante e já havíamos contratado um amigo motorista de táxi em Corrientes, Sérgio, para nos buscar em Clorinda, divisa de Argentina e Paraguai.

A viagem de Clorinda até a Pousada Gêmeos Pesca Esportiva levou seis horas e trinta minutos, sendo que as 16h30 já estávamos hospedados.
Antes do jantar, pedi para falar com o piloteiro que iria nos atender, para que pudesse saber como estava o rio e se o peixe estava comendo bem e quais estavam mais ativos. Não há informante melhor sobre a piscosidade de um rio do que o piloteiro.

Fomos apresentados ao Cláudio, excelente piloteiro, que trabalhou incansavelmente conosco durante os dois dias. O rio estava com pouca água e o peixe não estava comendo bem. Iscas artificiais, segundo ele, eram desprezadas pelos peixes. A alternativa seria a pesca com carnada, morenitas, as nossas tuviras.
Lá pelas vinte horas, depois de um ótimo banho e tralha já adiantada e definida em conjunto com o Cláudio, fomos apreciar a culinária do Gêmeos. Simplesmente fantástica, irreparável. A estrutura da Pousada também é excelente. Houve muito bom gosto em sua construção e a equipe está muito bem treinada para nos atender.
Sábado pela manhã, começa nossa aventura e realização de um sonho que era conhecer a Pousada e pescar naquela parte do rio Paraná.
Pescamos toda a parte da manhã com tuviras, sendo que ora estávamos apoitados, que significa pescar com o barco parado, em outros momentos com o barco em movimento, a chamada rodada. A produtividade não foi muito boa, mas minha esposa pegou um dourado e perdemos algumas poucas corridas.

Retornamos ao meio dia para almoçar e voltando a pescar às 15h00, com o sol ainda muito quente. Á tarde, pescando na chamada “pingadinha”, quando você solta a linha até atingir o fundo do rio e, em seguida, começa a dar pequenos puxões na linha e soltando-a, o que faz a chumbada correr e levar a isca rio abaixo. É bem interessante e quando você menos espera o peixe ataca de uma vez.

Pescamos várias piaparas de bom tamanho nesse sistema e um pacu de uns quatro quilos. O sistema é interessante, principalmente quando o sol está muito forte, pois esse sistema você pesca apoitado e o piloteiro instala a sombrinha. Fica uma maravilha, quando regada por uma boa cerveja.
No domingo as 7h30 já tínhamos tomado café e saímos para pescar. Iniciamos com isca artificial no corrico, mas depois de umas duas horas sem ação, mudamos o sistema para a rodada com isca viva, as tuviras, quando obtivemos algumas ações.
Um pouco antes do final da manhã, resolvemos pescar apoitados no sistema “pingadinha”. Não demorou muito e senti um forte tranco na vara e uma bela corrida. A fisgada foi automática e confirmada mais umas duas vezes.
Percebemos que não era um dourado e sim um peixe de couro, pois não pulou e dava muitas cabeçadas. Depois de alguns minutos apareceu na superfície um belo pintado. Com a água muito limpa, era possível vê-lo brigar ainda a uma certa profundidade. Embarcamos o pintado, fotografamos e o soltamos imediatamente. Devia pesar uns 10 quilos e estava bem gordo. Lindo peixe. Quando retornamos à Pousada, encontramos o nosso amigo Rogério, pais dos Gêmeos, que estavam juntos. Foi aquela festa, pois havia mais de cinco anos que nos encontramos na Cabana Don Julian, em Paso de La Patria.

Á tarde, no domingo, saímos para pescar um pouco mais tarde, pois o sol estava muito forte, um calor exagerado. Fisgamos alguns poucos peixes e voltamos mais cedo, com o objetivo de descansar e preparar para o início do Campeonato, às 7 horas da manhã da segunda-feira.
O Campeonato teve o objetivo de divulgar e promover o lazer e a integração através da prática de pesca esportiva, desenvolvendo esse potencial com seriedade, qualidade e técnicas que exigem o segmento, além de promover a preservação e educação ambiental dos pescadores.
E, ainda, promover a preservação e educação ambiental dos pescadores, através da divulgação e práticas sustentáveis e que normatizam a pesca esportiva, visando, principalmente, o combate de materiais e atitudes e poluentes e predatórias.
A dupla campeã seria aquela que obtivesse a maior soma de medidas dos seus três maiores dourados, entre todas as duplas que disputaram o campeonato. Não havendo uma etapa final.
Antes do início do campeonato, sugeri aos Gêmeos e à Fish TV avaliarem a possibilidade de usar um segundo anzol, chamado suporte hook, para a pesca com tuvira, considerando que as iscas artificiais tem seis anzóis, não conseguia ver razão para não aceitarem. Após avaliação dos organizadores, decidiram atender minha sugestão e criaram um adendo ao regulamento do campeonato. A primeira etapa do torneio teve a participação de doze duplas de pescadores, com seu respectivo piloteiro, que era sorteado diariamente e não houve repetição de piloteiro.
Cada etapa do campeonato teve a duração de três dias. A primeira etapa começou no dia 2 de março e terminou no dia 4 de março. A pescaria iniciava às 7h30, tendo um intervalo diário de 12 às 15 horas e encerrava às 19h00.

Haviam três lanchas para os fiscais, que eram compostos por representantes da Fish TV e da Gêmeos, com vários profissionais gravando todos os detalhes durante a pesca e movimentações dos pescadores, um verdadeiro reality show.

A cada peixe fisgado o piloteiro comunicava pelo rádio e um dos pescadores levantava e balançava uma bandeirola, para indicar a localização, pois a prova aconteceu em uma extensão total de 10 km, entre a ponta da Ilha Entre Rios até a ponta da Ilha Catalino.
Como já registramos, a água do rio estava muito baixa e os dourados grandes não apareceram, tanto é que no primeiro dia alguns poucos barcos não pegaram nenhum dourado, inclusive o nosso. No segundo dia, sabíamos que precisava ser o dia da virada. E não deu outra. Minha esposa fisgou o nosso primeiro dourado no Campeonato na parte da manhã, que mediu 66 cm.
Logo no início da tarde fisguei mais um dourado de 59 cm, o que nos colocou no campeonato de vez, considerando que a quantidade de peixes fisgados não era tão significativa.
Não levou muito tempo e minha esposa fisgou outro dourado, nos deixando muito animados e torcendo para que o tamanho do dourado, que já havia pulado, tivesse um bom tamanho. Peixe embarcado e o piloteiro Miguel entregou para os fiscais medirem.
Minha esposa estava muito próxima e observando a medição, quando o dourado escapuliu da mão do fiscal e mordeu o dedo do pé de minha esposa e, não satisfeito, mordeu novamente, quando ela pulou e mudou de posição, onde exatamente estava o dourado. Foi feito um curativo pela organização do campeonato. O dourado mediu 69 cm, o que consideramos de bom tamanho, pois até então outros pescadores tinham fisgado um de 71 cm e outro de 70 cm.
Para encerrar o dia, minha esposa fisgou outro dourado, mais de menor tamanho, sendo medido e devolvido rapidamente. Tinha apenas 58 cm, seria descartado no somatório dos três maiores.
Ao término do segundo dia de pesca no campeonato, estávamos bem posicionados. Saberíamos mais tarde, antes do jantar, qual a posição das duplas.
Ao regressarmos para a Pousada Gêmeos, vários pescadores nos cumprimentavam, mas sempre falávamos, o campeonato está aberto. Foi uma noite muito agradável, apesar de transitória, éramos os campeões do momento.

E não nos enganamos, pois estávamos em primeiro lugar no torneio, ficamos muito felizes, mas cientes que tinham concorrentes muito bons e o fator seria só sorte, pois todos já sabiam o que fazer, conheciam as técnicas e estavam assessorados por piloteiros muito profissionais, que nasceram na região.
Quando foram sorteados os piloteiros para o último dia, eu disse ao Frederico e Pablo, vocês estarão amanhã com um grande profissional, pois ficaram com o Miguel, que nos ajudou a alcançar o primeiro lugar provisório.
Último dia de pesca, todos muito animados e preparados para lutar muito para melhorar sua posição. A nossa dupla não começou bem, pois logo no princípio da pescaria tive uma boa fisgada, mas a linha partiu. Provavelmente tinha algum desgaste ou nó na linha. À tarde, a pescaria continuou com poucas ações.
Ouvíamos pelo rádio que peixes estavam sendo fisgados e nós tínhamos certeza que qualquer peixe que Frederico e Pablo fisgasse colocariam nossa posição em risco, considerando que tinham os dois maiores dourados embarcados até então.
A direção de prova, logo no início da manhã, comunicou que não seria informado o tamanho dos peixes embarcados e que saberíamos apenas o barco e local do peixe fisgado. Na verdade, queriam deixar a surpresa para à noite.
A nossa dupla alternou as formas de pescar durante o dia, na rodada, no corrico com isca artificial, apoitados e na pingadinha, mas não era o nosso dia, os peixes pouco apareceram. Às 19h00 a organização do Campeonato informou que havia encerrada a pescaria.
O resultado final ficou da seguinte forma: Primeiro lugar – Frederico e Pablo, que tiveram os três maiores dourados com as seguintes medidas: 70,71 e 71 cm, totalizando 212 cm; em Segundo lugar: Luís Henrique e Paulo Alexandre, tendo fisgado dourados de 62, 62, e 70cm, totalizando 194 cm; e em Terceiro lugar, nossa dupla: Robson e Denilse, com peixes de 59, 66 e 69 cm, totalizando, também 194 cm.
Apesar de empatarmos com a dupla que ficou em segundo lugar, ficamos em terceiro, com base no regulamento que dizia: em caso de empate, o primeiro critério de desempate seria o maior peixe fisgado; e eles tinham um de 70 cm, parabéns a eles.

O maior dourado, também, foi embarcado pela Campeões, com 71 cm. Parabéns à dupla!
A organização do campeonato foi perfeita, com horários sendo cumpridos à risca e todos tiveram comportamento exemplar.
Registro os nossos agradecimentos à Pousada Gêmeos Pesca Esportiva e à Fish TV pela organização e funcionamento de todo o campeonato.
Em conversa com vários pescadores, ficou clara a necessidade de ser alterada a data do campeonato, pois a região é conhecida pelos grandes dourados e pintados, mas com água baixa os grandes peixes não apareceram.

Robson Antônio de Oliveira
robson.pescador@uol.com.br

Voltar


Fotos


Topo